Rádio Difusora

(45) 3284-8080
12/06/2019 16:28 | Autor: Editor

Entre Rios do Oeste consta na lista de municípios com epidemia de dengue

De acordo com o novo relatório, houve aumento de 12,02% na ocorrência de novos casos, com 1.449 confirmações: agora o Estado totaliza 13.504 casos desde agosto de 2018.
Nesta semana, seis municípios anunciaram pela primeira vez casos autóctones da doença no período epidemiológico, ou seja, contraídos no próprio local de moradia.

Guaraniaçu, Corumbataí do Sul, Ariranha do Ivaí e Nova Cantu, todos com um caso; Santa Mônica com 2 e Inajá com 5.
Dos 63 municípios em epidemia, três são novos: Alto Piquiri, Entre Rios do Oeste e Guaíra.
De acordo com a 20ª Regional de Saúde, quarenta e oito novos casos foram confirmados em duas semanas em Mercedes.
Na semana passada, um boletim da SESA não havia atualizado os numeros relacionados a Mercedes.
Com 140 casos confirmados, Mercedes agora possui o 5º maior índice de dengue no estado do Paraná: 2.500,93 casos por 100 mil habitantes.
Ainda existem casos notificados que aguardam confirmação por meio de exames, os quais demandam certo tempo até a obtenção do resultado.
O “TOP 5” da dengue aponta também Terra Roxa, com 583 casos, e Francisco Alves com 248 .
No caso de Entre Rios do Oeste, o Coordenador Municipal de Controle da Dengue, Vilmar Frare, explica que o quadro de epidemia já não existe mais, pois quando foi diagnosticado, os bloqueios necessários foram efetivados.................................Gravação.
O boletim divulgado ontem pela SESA também revela que mais 14 municípios estão em estado de alerta, somando 55 no total: Matinhos, Ubiratã, Brasilândia do Sul, Ivaté, São Tomé, Diamante do Norte, Inajá, Ângulo, Doutor Camargo, Santa Inês, Santa helena, Godoy Moreira, Ivaiporã e Marechal Cândido Rondon.
Esta semana não foi registrado nenhum novo caso de morte no Estado.
No total são 17 óbitos em todo o Paraná.
O boletim epidemiológico contabiliza os dados a partir da primeira semana de agosto de 2018 até o momento.
A Secretaria segue com várias ações preventivas, como a capacitação de profissionais para o diagnóstico e manejo clínico da doença.