Rádio Difusora

(45) 3284-8080
04/06/2019 14:29 | Autor: Editor

Soja pode ser dizimada pela ferrugem

O Mapa do Consórcio Antiferrugem, administrado pela Embrapa Soja com sede em Londrina, está tomado por pontos vermelhos distribuídos por todo o Paraná.


O Paraná foi o Estado que mais registrou casos


Eles indicam que na safra 2018/2019 o Estado foi o campeão brasileiro em diagnósticos de ferrugem asiática na soja, com pelo menos uma centena de registros.
Na região, destaque para Céu Azul, com oito lavouras infestadas pelo fungo.
O sistema de monitoramento está mais apurado e isso também contribuiu para a elevação de registros, mas outra condição se soma à preocupação: se há casos, é porque o fungo está agindo e os dados mostram que isso ocorre cada vez em maior número de lavouras e com maior potencial de devastação.

Uma área atacada pela ferrugem, se não controlada, pode ser totalmente destruída em poucos dias. Como no início ela é de difícil detecção, é o monitoramento acirrado que vai impedir o avanço da doença, que começa a agir pelo caule e se espalha por toda a planta, tirando dela os nutrientes necessários para se desenvolver.
Para evitar condições como essas, desde o início do ano, quando reassumiu a pasta, o secretário de Estado da Agricultura, Norberto Ortigara, e um corpo técnico ligado à pesquisa e ao setor produtivo têm pedido ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento para que medidas de contenção sejam adotadas em todo o País, evitando assim a disseminação dos esporos que provocam a doença e que podem comprometer a produção inteira da oleaginosa.
Dentre as medidas solicitadas está a adoção do vazio sanitário em todo o Brasil, obedecendo às janelas de produção de cada região, o chamado zoneamento.
Por enquanto, a medida ainda não sai do papel, mas o Paraná se prepara para mais um vazio sanitário.
Isso significa que nos 399 municípios não pode haver planta em desenvolvimento no campo por um período de 90 dias, de 10 de junho a 10 de setembro.
A colheita para quem plantou até 31 de dezembro de 2018 – data limite para semeadura no Paraná – teve seu prazo encerrado no m de maio e lavouras comerciais que ainda estiverem no campo já estão sujeitas às autuações, antes mesmo do início do vazio.