Rádio Difusora

(45) 3284-8080
15/05/2019 15:55 | Autor: Editor

Operação Pula Pula do GAECO prende vereador e mais quatro pessoas em M. Rondon

Polícia apreendeu documentos na prefeitura, Câmara de Vereadores, residências e empresas.


Desde as primeiras horas de hoje, o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado – GAECO - cumpre mandados de prisão, e de busca e apreensão em Mal Rondon.
A Operação Pula Pula cumpriu hoje cinco mandados de prisão e vinte mandatos de busca e apreensão em diversos locais do município, incluindo prefeitura municipal, Câmara de Vereadores, residências e empresas.
O GAECO divulgou nota parcial sobre a operação, que diz o seguinte:


“Na manhã desta quarta-feira, agentes do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado – GAECO, núcleo de Foz do Iguaçu, com auxílio dos demais núcleos regionais do GAECO do Paraná, cumprem uma série de mandados na cidade de Marechal Cândido Rondon, em investigação que visa averiguar fraudes em certames licitatórios, por empresas vinculadas a um vereador local.
A investigação, iniciada em 2018, constatou que o parlamentar utiliza empresas em nome de “laranjas”, inclusive de seu próprio filho, para firmar contratos irregulares com a administração pública municipal, utilizando de sua posição e prestígio político para se beneficiar financeiramente do esquema.
Estão sendo cumpridos cinco mandados de prisão preventiva e 20 mandados de busca e apreensão, incluindo a do vereador, seu filho e pessoas vinculadas às empresas de sua propriedade.
A operação, denominada Pula Pula, faz alusão ao apelido do vereador, que troca frequentemente de partido político para permanecer na situação”. Assina a Nota o GAECO.


O vereador em questão e que foi detido na operação é Nilson Hackmann.
Também foi preso um dos filhos e mais três pessoas.
A defesa de Nilson Hachmann deverá ainda hoje divulgar uma nota sobre o ocorrido, contudo, já estaria entrando com pedido de habeas corpus.
O GAECO ainda não divulgou o balanço final da operação Pula Pula, que apreendeu inúmeros documentos na prefeitura de MaL Rondon, Câmara de Vereadores, residencias e empresas, e deteve cinco pessoas.


Em relação ao caso envolvendo o vereador Nilson Hachmann, a Câmara Rondonense divulgou uma nota a imprensa:

“Referente à operação do GAECO nesta quarta-feira (15), que resultou na prisão preventiva do vereador Nilson Hachmann e de outras quatro pessoas, além do cumprimento de mandados de busca e apreensão, inclusive na Prefeitura e na sede do Poder Legislativo, a Câmara de Vereadores informa que:

- A operação no Poder Legislativo foi específica em relação ao vereador preso;

- Os contratos suspeitos de irregularidades foram firmados entre empresas e a Prefeitura. Nenhuma licitação ou contrato envolvendo a Câmara de Vereadores está sob suspeita dos investigadores;

- As buscas no Poder Legislativo restringiram-se exclusivamente à mesa e ao arquivo particular do vereador;

- Não houve buscas na contabilidade, nem na secretaria ou qualquer outro gabinete ou dependência da Câmara de Vereadores.

A Câmara está à disposição de qualquer esclarecimento às autoridades e reafirma a lisura de todos os atos administrativos da atual direção da Casa de Leis.
Assina a nota, a Câmara de Vereadores de Mal Rondon.