Rádio Difusora

(45) 9-9841-0044
05/12/2018 10:25 | Autor: Editor

Paraná sofre um desastre natural a cada 17 horas

Foto: Franklin de Freitas
Dados da Defesa Civil revelam 984 ocorrências de vulto desde o ano passado no Estado

A cada 17 horas a Defesa Civil do Paraná registra um desastre ambiental no Estado, em média. É o que revela levantamento feito pela reportagem com base no Sistema de Defesa Civil (SISDC), o qual revela que desde o ano passado foram registradas 984 ocorrências no Estado, com 279 municípios atingidos (69,9% do total), 333.885 pessoas afetadas e 37 mortes.

As ocorrências mais comuns são tempestades com vendavais e granizo, mas o que tem chamado a atenção são os casos de tornado. Desde 2007, a Defesa Civil notificou sete casos desse tipo no Paraná, sendo que dois deles (28,6%) foram registrados apenas neste ano. Em 2017 e 2016 não houveram ocorrências de tornado no Paraná, enquanto em 2015 foram quatro e em 2007, uma.

Neste ano, o primeiro relato de tornado ocorreu no dia 6 de janeiro, na região rural de Toledo, com duas pessoas afetadas. Contudo, a força do vento, que durou cerca de cinco minutos, derrubou um barracão onde estavam alojados 500 leitões (dois acabaram morrendo). O outro, e mais grave, aconteceu no final de semana, em Itaperuçu.

Brasil

O Brasil é o 79º país do mundo, entre 168 países, mais impactado por eventos climáticos extremos, como tempestades e ciclones tropicais, em 2017. O país subiu 10 posições em relação ao ranking do ano anterior do chamado Índice Global de Risco Climático. A informação foi divulgada ontem pela organização ambiental alemã Germanwatch durante a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas. O evento está sendo realizado em Katowice, Polônia.

Simepar classificou ocorrência como tornado de categoria F1

O tornado que atingiu Itaperuçu só foi confirmado na noite de segunda-feira, depois de análises e testemunhos feitos pelo Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar). Até então, a hipótese era de “micro-explosões”, fortes ondas que atingiam o solo. Ventos de mais de 120 km/h danificaram quase 500 residências, afetaram 1.704 pessoas e provocaram duas mortes, além de um prejuízo preliminar de mais de R4 6 milhões. o Simepar classificou o tornado como F1, com rajadas de ventos de até 120 quilômetros por hora.

A partir de hoje, agentes da Coordenadoria Estadual da Defesa Civil, acompanhados de voluntários da organização Engenheiros Sem Fronteiras e da Comissão de Segurança de Edificações e Imóveis (Cosedi), estarão em Itaperuçu para visitar as residências e imóveis públicos danificados. Eles vão elaborar os projetos de recuperação para embasar o Plano de Trabalho que será encaminhado ao governo federal para conseguir recursos destinados à reconstrução da cidade.

Repasse

A governadora Cida Borghetti autorizou, nesta terça-feira (4), o repasse de R$ 2,1 milhões para Itaperuçu. A verba é destinada a reformas de casas, postos de saúde e escolas afetadas pelo temporal e também para o atendimento de cerca de 600 famílias afetadas. Na reunião com o prefeito Hélio Guimarães, realizada no Palácio Iguaçu, Cida também homologou o decreto que declara situação de emergência ao município, que tem 28 mil habitantes.