Rádio Difusora

(45) 9-9841-0044
15/10/2018 14:53 | Autor: Editor

DNIT apresenta estudo que avaliou condições das rodovias paranaenses

Uma vistoria feita pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes indicou que metade das rodovias federais que cruzam o Paraná e são de responsabilidade da União está em condições consideradas boas.


Na lista dos trechos com problemas aparece a BR 163


O mesmo levantamento aponta que 5% dos trechos estão péssimos e que a situação é ruim em 17% dos casos.
No geral, a nota do Paraná, segundo o DNIT, ficou em 7,9 a 13ª colocação entre os estados.
Não foram avaliadas as rodovias pedagiadas, seja no Anel de Integração gerido pelo sistema estadual, seja nas concessões federais.
O levantamento foi feito por equipes do próprio DNIT que ainda reconheceu que as condições das rodovias pioraram no último ano e a culpa seria do contingenciamento de recursos, que reduziu os gastos em manutenção das estradas.
Nos últimos quatro anos, a média do orçamento do Ministério dos Transportes para o setor rodoviário caiu 28%, passando de 9 bilhões 660 milhões, entre 2011 e 2014, para 6 bilhões 970 milhões, de 2015 a 2018.
No Paraná, os principais problemas estão nas BRs 163, 153, 280, 373, 476 e 487.
A ligação entre Guaíra e Barracão, a BR 163 , também está na lista feita pela Confederação Nacional dos Transportes, divulgada no final do ano passado, que apontou o trecho da BR-163 como um dos dez piores do Brasil.
A rodovia está em obras há mais de dois anos entre Cascavel e Marmelândia, mas avança lentamente porque a empreiteira responsável pela duplicação ameaçou interromper o serviço e chegou a demitir funcionários, em agosto, porém o governo pagou parte da dívida e o trabalho foi retomado.
A previsão é de que a obra seja concluída em 2019, juntamente com a duplicação entre Marechal Cândido Rondon e Toledo.