Rádio Difusora

(45) 9-9841-0044
11/09/2018 15:00 | Autor: Editor

Pesquisa mostra Bolsonaro com maior vantagem na corrida presidencial

O candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL) aumentou a vantagem na liderança na corrida presidencial, segundo levantamento do instituto Datafolha, divulgado na noite desta segunda-feira.


Ele, no entanto, é o candidato com maior índice de rejeição

Bolsonaro tem 24% de intenções de voto, 11 pontos porcentuais acima do segundo colocado, Ciro Gomes (PDT), que está com 13%.
No levantamento anterior do Datafolha, de 22 de agosto, Bolsonaro tinha 22% de intenções de voto e estava cinco pontos porcentuais acima de Marina Silva (Rede), que na época era a segunda colocada.
No atual levantamento, há um empate técnico entre os segundos colocados. Ciro Gomes tem 13%, seguido por Marina Silva (11%), Geraldo Alckmin (PSDB), com 10%, e Fernando Haddad (PT), com 9%.
O Tribunal Superior Eleitoral vetou a candidatura de Lula e estabeleceu prazo até esta terça para que o PT o substitua.
A pesquisa ainda citou Henrique Meirelles (MDB) com 3% e Alvaro Dias (Podemos), com 3%: os outros candidatos têm 1% ou menos.
O Datafolha entrevistou 2.804 eleitores de 197 municípios nesta segunda.
A pesquisa foi realizada em parceria com a TV Globo: o primeiro turno das eleições está marcado para 7 de outubro, daqui a quatro semanas.
Em relação à pesquisa anterior, Bolsonaro, Ciro e Haddad tivera evolução na intenção de voto: o primeiro foi de 22% apara 24%.
Ciro avançou de 10% para 13%, o suficiente para assumir o segundo lugar, e Haddad, que antes estava com 4%, foi para 9%.
Henrique Meirelles também teve alta, de 2% para 3%.
Por outro lado, Marina Silva perdeu seis pontos porcentuais – estava com 16% e caiu para 11%.
Álvaro Dias caiu de 5% para 3%., e Geraldo Alckmin, por sua vez, manteve os 10% da pesquisa anterior.
O novo levantamento mostra que Bolsonaro é o candidato com maior rejeição.
Segundo o Datafolha, 43% dos eleitores dizem que não votariam de jeito nenhum no capitão reformado do Exército.
De acordo com os cenários estudados, ele perderia para Alckmin, Marina e Ciro e chegaria à segunda rodada da eleição empatado com Haddad se ela fosse realizada hoje.
A pesquisa mostra também que a vantagem de seus adversários sobre ele em algumas dessas simulações aumentou.
Se o segundo turno fosse hoje, Alckmin e Marina teriam 43% no confronto com Bolsonaro, Ciro alcançaria 45% e o capitão oscilaria entre 34% e 37%.
A disputa seria mais acirrada se Bolsonaro chegasse ao segundo turno com Haddad. Se fosse hoje, o candidato petista teria 39% e seu adversário, 38%.