Rádio Difusora

(45) 9-9841-0044
19/06/2018 15:32 | Autor: Editor

Pré candidatos usam cargo de vice para ampliar apoio nas eleições de outubro

Negociações se arrastarão até as convenções partidárias

A cerca de um mês do início das convenções que definirão as chapas dos candidatos a governador, os principais postulantes ao Palácio Iguaçu têm na vaga de vice uma das armas para barganhar a atração de legendas aliadas, garantia de mais dinheiro do fundo partidário/eleitoral e de tempo de televisão.
O prazo para que tudo se defina é entre 20 de julho e 5 de agosto e até lá, as costuras nos bastidores seguirão intensas.
Por ora, a vice do deputado estadual Ratinho Jr. tem sido a mais cobiçada e os presidentes de duas das mais importantes federações do Paraná se licenciaram dos cargos com a perspectiva de ser o escolhido.
Edson Campagnolo , filiado ao PRB se afastou da Federação das Indústrias enquanto Darci Piana, do PSD deixou temporariamente a Federação do Comércio - Fecomércio.
Se ambos poderiam atrair a simpatia do setor produtivo e empresarial do estado, outros dois nomes são vistos como alternativa para neutralizar a ligação do ex-senador Osmar Dias com o agronegócio.
Norberto Ortigara, do PSD foi secretário de Agricultura na gestão Beto Richa e Marcel Micheletto, do PR deixou o cargo de prefeito de Assis Chateaubriand e é ex-presidente da Associação dos Municípios do Paraná.
A princípio, Piana e Ortigara parecem sair atrás na disputa por estarem filiados ao mesmo partido de Ratinho, o que significaria a formação de uma chapa pura e, portanto, o escanteamento de partidos aliados.
Sempre que é questionado a respeito de alianças, o pedetista afirma que prioriza, na verdade, um projeto político para o estado e nessa linha, tem conversado com diversos partidos, alguns deles, inclusive, propensos neste momento a integrarem a coligação de candidatos adversários.
Já Osmar Dias, através de seus aliados diz ser muito cedo para falar em possíveis nomes de vice mas todos são unânimes em defender que o mais importante é que seja alguém “idôneo”.
O possível vice da atual governadora Cida Borghetti é uma incógnita ainda maior que o de Osmar e isso se deve, em grande medida, ao fato de ela ter por ora o maior leque de alianças, com mais de uma dezena de partidos.