Rádio Difusora

(45) 9-9841-0044
12/06/2018 15:15 | Autor: Editor

Iniciado no Paraná o período de vazio sanitário da soja

O período em que é proibido cultivar, manter ou permitir a existência de plantas vivas de soja começou no último domingo e segue até o próximo dia 10 de setembro em todo o Estado do Paraná.


O objetivo é controlar a ferrugem asiática nas lavouras


É o chamado vazio sanitário que tem como objetivo controlar a doença conhecida como ferrugem asiática da soja.
Sem a presença da planta viva nas lavouras, há uma quebra do ciclo de reprodução do fungo e dessa maneira evita-se o aparecimento precoce da ferrugem durante a safra.
Segundo explica o engenheiro agrônomo Anderson Lemiska, durante o período de 90 dias a fiscalização da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Paraná vai atuar nas áreas rurais e no transporte dos veículos que carregam soja para que a determinação seja cumprida.
A partir desta data a Adapar irá autuar o infrator responsável pela área onde a soja verde for encontrada.
O processo administrativo é organizado no escritório regional da Seab e encaminhado para Curitiba onde será julgado.
Nesta etapa alguns fatores serão considerados como a reincidência, o tamanho da área, se dificultou a destruição da planta, entre outros.
Lemiska destaca que as datas fixadas pela portaria 202/2017 da Adapar limitam a colheita ou dessecação da soja até o dia 15 de maio.
A eliminação de plantas vivas de soja até o dia 9 de junho, o vazio sanitário entre 10 de junho e 10 de setembro e a semeadura da soja entre o dia 11 de setembro e 31 de dezembro.
A iniciativa é da Adapar, da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento, da Emater, e dos Sistemas Faep e Ocepar.
No Brasil treze estados e o Distrito Federal adotaram essa medida, estabelecida por meio de normativas.
Além do Brasil, o Paraguai também estabeleceu o período de vazio sanitário, chamado de "pausa fitossanitária”.