Rádio Difusora

(45) 9-9841-0044
10/04/2018 16:40 | Autor: Editor
Fonte: Bem Paraná com assessoria

Completar um álbum da Copa de 2018 custa R$ 1.628 a mais que em 1998, mostra estudo

Mesmo a pouco mais de 2 meses para a Copa do Mundo na Rússia, cuja estreia ocorrerá em 14 de Junho em Moscou, uma paixão nacional já começou a entrar em campo com força total entre os fãs: completar o novo álbum de figurinhas, recorrente desde a copa de 1970 e fabricado pela italiana Panini. A edição de 2018 conta com 682 cromos, contra 640 da edição de 2014. Engana-se quem pensa que a tecnologia acabou com a tradição dos colecionadores, que muitas vezes passam de geração em geração guardando e conseguindo os exemplares mais recentes do evento. Tradição que pode ser rentável no futuro: uma réplica do álbum da Copa do Mundo de 1970 junto com os 288 cromos pode sair mais de mil reais em um dos marketplaces mais populares do Brasil.

Quanto vai custar para completar o álbum de 2018?

O Cuponation, plataforma de descontos online pertencente à alemã Global Savings Group, aponta que para conseguir completar a nova edição, com base no método estatístico de Monte Carlo, levando em conta o número de cromos repetidos e ainda sem incluir a troca dos mesmos entre amigos, custará pelo menos R$ 1.938, valor 115% mais alto desembolsado pelo consumidor para completar a edição de 2014, aproximadamente R$ 901,05, e muitas vezes superior quando se fala da Copa de 1998, com vinte anos de diferença. Naquela Copa, completar o álbum tinha estimativa de R$ 310, uma diferença de R$ 1.628 com a estimativa de 2018.

Novamente, as estimativas consideram a repetição dos cromos e não considera o ato da troca. Ainda, se comparado ao valor calculado com base no IPCA, o preço total de completar o álbum está 83% mais alto do que o estimado pelo índice do IBGE, sendo este R$ 1.058,16. A plataforma de descontos também estima que para conseguir todos os 682 cromos seja necessária a compra de pelo menos 969 pacotes de figurinhas, ou 68 pacotes a mais que a última edição.

Veja no infográfico interativo uma análise do estudo, que reúne a comparação dos preços desde a Copa do Mundo de 1998, comparado aos valores calculados com base no IPCA e o real.