Rádio Difusora

(45) 9-9841-0044
08/06/2017 10:19 | Autor: Editor

Produtores passar a contar com maior recursos da história da agricultura brasileira

Os produtores rurais passam a contar, a partir de agora, com o maior volume de recursos da história para financiar a agricultura brasileira.
São 190 bilhões e 250 milhões de reais destinados ao Plano Agrícola e Pecuário 2017/2018, por meio do qual médios e grandes produtores poderão acessar o crédito rural, entre 1º de julho deste ano e 30 de junho de 2018.
O governo federal também reduziu, entre um e dois pontos percentuais, os juros das operações.
No lançamento do Plano Agrícola, que aconteceu ontem numa concorrida cerimônia no Palácio do Planalto, o presidente Michel Temer e o ministro Blairo Maggi, da Agricultura, destacaram os dados positivos do setor agrícola, como o crescimento de 13,4% do PIB agropecuário no primeiro trimestre deste ano à safra recorde de 232 milhões de toneladas de grãos.
O volume de crédito para custeio e comercialização é de 150 bilhões e 250 milhões de reais, sendo 116 bilhões e 250 milhões de reais com juros controlados e 34 bilhões de reais com juros livres.
O montante para investimento saltou de 34 bilhões e 050 milhões de reais para 38 bilhões e 150 milhões de reais, com aumento de 12%, e o apoio à comercialização terá 1 bilhão e 400 milhões de reais.
Quanto aos juros, houve redução de um ponto percentual ao ano nas linhas de custeio e de investimento e, de dois pontos percentuais ao ano nos programas prioritários voltados à armazenagem e à inovação tecnológica na agricultura.
No custeio, os juros caíram de 8,5% ao ano e 9,5% ao ano para 7,5% e 8,5%.
O mesmo aconteceu para os programas de investimento, à exceção do PCA e Inovagro, nos quais a taxa foi fixada em 6,5% ao ano.
Para acompanhar o crescimento da produção agrícola, que deve se situar em 232 milhões de toneladas de grãos, com aumento de 24,3% em relação à safra 2016/2017, com perspectivas de superar tal recorde em 2017/18, o governo federal garante recursos para investimento em armazenagem, de 1 bilhão e 600 milhões.
Nessa temporada, os cerealistas também serão beneficiados no plano.
Os recursos para armazenagem, de acordo com o secretário de Política Agrícola do Mapa, Neri Geller, vão ajudar o produtor a suprir a necessidade de logística, beneficiando cerealistas e cooperativas, que terão prazo de amortização do crédito em até 15 anos.
Dentre outros recursos, o produtor poderá contar com 550 milhões de reais do Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural, com aumento de 37,5%.
Ele oferece ao agricultor a oportunidade de proteger sua produção agrícola com custo reduzido, por meio de auxílio financeiro do governo federal.