Rádio Difusora

(45) 9-9841-0044
12/04/2017 09:54 | Autor: Editor

Operação Carne Fraca é debatida durante audiência na Assembleia Legislativa

A Operação Carne Fraca, deflagrada pela Polícia Federal, e os reflexos para a economia do Estado foram o tema da audiência pública realizada ontem, no Plenarinho da Assembleia Legislativa do Paraná.
Para o secretário estadual de Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara, o principal resultado foi a depuração do setor.
Ele disse que 99,9% das unidades de produção de carnes do Paraná têm boas práticas de qualidade, controle e higiene, para produzir proteína animal que é enviada para cerca de 160 países.
Afirmou que o lado bom da operação é que expurgou do setor fiscais e empresários que cometeram algum tipo de corrupção: agora é trabalhar para recuperar a confiança do mercado.
A Operação Carne Fraca foi deflagrada no último dia 17 de março pela Polícia Federal e apura um suposto esquema de fraude na produção, fiscalização e comercialização de carnes, envolvendo pagamento de propina a fiscais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.
A investigação teria encontrado indícios de adulteração de produtos e venda de carne vencida e estragada.
Inácio Kroetz, diretor-presidente Agência de Defesa Agropecuária do Paraná, declarou que as situações reveladas pela operação da Polícia Federal são pontuais e isoladas, e que agora é o momento em que o setor de produção de carnes do Paraná precisa mostrar ao mercado internacional que está agindo para combater esses acontecimentos pontuais.
O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ademar Traiano, declarou que esse assunto é bastante delicado para a economia brasileira, como um todo, mas com ênfase ao agronegócio paranaense.
O debate sobre o tema ocorre a poucos dias do primeiro prazo para que a Polícia Federal concluísse o relatório final da Operação, deflagrada no dia 17 de março.
O prazo legal é de 30 dias para a conclusão do relatório final, no entanto, no dia 30, o delegado de Polícia Federal Maurício Moscardi Grillo pediu mais 15 dias para a apresentação do relatório final da Operação Carne Fraca.
O juiz Marcos Josegrei da Silva, da 14ª Vara Federal de Curitiba, ampliou o prazo para conclusão do inquérito da Operação Carne Fraca para 2 de maio.
Além dos 15 dias contados a partir do dia 17 de março, a Polícia Federal pediu mais 15 dias para apresentar o relatório final da operação que investiga fraudes na fiscalização de frigoríficos.
Participaram do debate, deputados, representantes de órgãos públicos ligados à agricultura e à pecuária, além de lideranças da indústria de carnes e derivados do Paraná.