Rádio Difusora

(45) 9-9841-0044
04/04/2017 14:33 | Autor: Editor

TSE julga ação que pede a cassação da chapa Dilma/Temer

O Tribunal Superior Eleitoral iniciou hoje pela manhã o julgamento da ação que pede a cassação da chapa Dilma-Temer, vencedora das eleições presidenciais de 2014.

Decisão do TSE poderá determinar a convocação de eleições indiretas presididas pelo Congresso

O processo movido pelo PSDB continuou no tribunal mesmo com o afastamento da ex-presidente Dilma e agora, pode terminar com a convocação de eleições indiretas, presididas pelo Congresso, caso a chapa seja cassada.
Após o resultado das eleições de 2014, o PSDB entrou com a ação e o TSE começou a julgar suspeitas de irregularidades nos repasses a gráficas que prestaram serviços para a campanha eleitoral.
Recentemente, o ministro Herman Benjamin decidiu colocar no processo os depoimentos dos delatores ligados à empreiteira Odebrecht, investigados na Operação Lava Jato.
Eles relataram que fizeram repasses ilegais para a campanha presidencial.
O rito do julgamento será o mesmo utilizado na análise de outros processos. Um pedido de vista por parte dos ministros não está descartado.
Também pode ser concedido mais prazo para a defesa se manifestar.
Em caso de cassação da chapa, o TSE deverá decidir se eleições indiretas serão convocadas pelo Congresso.
Caso seja essa a decisão do tribunal, o presidente Michel Temer poderá continuar com os direitos políticos, ao contrário de Dilma, que ficará inelegível por oito anos, por ser a mandatária da chapa.
O TSE é formado por sete ministros, dois oriundos do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes e Luiz Fux;
Dois do Superior Tribunal de Justiça, Herman Benjamin e Napoleão Nunes Maia Filho;
E dois da advocacia, Luciana Lóssio e Henrique Neves.
Nos próximos dois meses, termina o mandato de Neves e Luciana, que serão substituídos.
O presidente Michel Temer já indicou para ocupar a vaga de Henrique Neves o advogado Admar Gonzaga, mais votado na lista tríplice enviada pelo STF.