Rádio Difusora

(45) 9-9841-0044
15/03/2017 15:24 | Autor: Editor

Deral confirma aumento na produtividade de soja na região

Uma audiência pública ontem no Plenarinho da Assembleia Legislativa do Paraná, debateu o vazio sanitário para o plantio da safrinha de soja.

O tema foi discutido entre técnicos da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná, vinculado à Secretaria Estadual de Agricultura, lideranças do setor produtivo, produtores rurais e representantes de diversas entidades sindicais.
Para algumas lideranças a implantação do vazio sanitário no Estado vem inviabilizando o plantio da soja safrinha, trazendo prejuízos ao Paraná e para os agricultores, em especial os pequenos.
O que está em discussão é uma revisão das portarias em vigor da Adapar que tratam da restrição do plantio da oleaginosa durante o período vazio sanitário.
A reivindicação é que a Adapar reavalie e reveja a formatação das normas e dos prazos do vazio sanitário para que a produção seja facilitada e promovida pelo Estado, e não dificultada e restringida.
Os agricultores da região sudoeste do Estado, por exemplo, defendem o fim das restrições ao plantio da soja safrinha.
Dentre os argumentos apresentados estão as mudanças climáticas e o plantio normal da semente nas lavouras de Santa Catarina, que faz divisa com o Paraná.
De acordo com eles, a safrinha se constitui uma alternativa à safra de verão e uma boa fonte de renda.
Os técnicos da Adapar, no entanto, defendem a manutenção do vazio sanitário, o qual foi implantado para impedir o avanço da ferrugem asiática nas lavouras de soja.
Em 2016, o vazio sanitário no Estado começou em 15 de maio e se encerrou em 15 de setembro.
Nesse período, nenhum agricultor pode manter uma planta viva de soja sob risco de aplicação de multa.
O vazio sanitário existe atualmente em onze estados brasileiros e no Distrito Federal, porém na região Sul, apenas o Paraná adota a medida.
Por outro lado, em relação a safra verão, os números ainda estão sendo fechados no Estado, principalmente em relação a cultura da soja.
Na regional de Toledo, técnicos já realizaram reuniões na maioria dos municípios.
Os números ainda não são definitivos, porém conforme a agrônomo do DERAL, Jean Mariê Ferrarini, assim como aconteceu ano passado, a condição de clima favoreceu e se registra um novo aumento na produtividade regional..