Rádio Difusora

(45) 9-9841-0044
17/02/2017 15:03 | Autor: Editor

Secretários de Agricultura discutem medidas de apoio ao setor agropecuário

O secretário estadual da Agricultura e Abastecimento do Paraná, Norberto Anacleto Ortigara, defendeu a redução da taxa de juros do Plano Safra do Governo Federal para o custeio da produção agropecuária para impulsionar o crescimento econômico do País.

Redução de juros do Plano Safra encabeça a lista de reivindicações ao Governo Federal

A defesa foi feita na reunião do Conselho Nacional de Secretário de Estado da Agricultura, Conseagri, realizada ontem a tarde em São Paulo,.
Conforme Ortigara, com a queda da taxa de juros, o Governo Federal privilegiará o agronegócio, o que é importante para aumentar o investimento no setor.
O Conseagri quer do Governo Federal a redução de três pontos percentuais nas linhas gerais dos juros para o Plano Safra 2017/2018.
Reunidos os 11 titulares estaduais presentes elegeram como seu novo presidente Ernani Polo, do Rio Grande do Sul, e Rômulo Araújo Montenegro, da Paraíba, como vice-presidente.
A reunião resultou em encaminhamentos importantes, como o pedido para que o Governo Federal reduza os juros do Plano Safra em 3%, diminuição possível devido à queda na inflação apontada no mês de janeiro e da taxa Selic promovida pelo Comitê de Política Monetária.
Há também necessidade de redução das taxas nas linhas dos fundos constitucionais acessados pelos produtores rurais.
Para o Conseagri, o Governo Federal precisa disponibilizar pelo menos 200 bilhões de reais para o Plano Safra, da agricultura empresarial, e 22 bilhões de reais para o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar.
Representantes do Conselho irão a Brasília no mês de março levar o pedido de redução à Casa Civil, ao Congresso nacional e aos ministérios da Fazenda e da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.
O governador paulista Geraldo Alckmin, participou da reunião e na ocasião disse que, devido às proporções continentais do País, deve haver uma maior delegação de ações do Governo Federal aos Estados para que possam contribuir para o desenvolvimento do setor agropecuário brasileiro.
Segundo ele o segmento tem mostrado eficiência, competitividade e importância econômica e social, pois é o que está segurando o emprego e a renda do País, contribuindo para a balança comercial, principalmente para a exportação.
Outro ponto discutido foi a integração do sistema de fiscalização e inspeção sanitária, uma proposta já colocada em andamento pelos Estados da Região Sul.
O objetivo é criar uma livre circulação interestadual de produtos da agroindústria, com a validação de um Estado aceita em toda essa região onde vigora a parceria entre os governos estaduais.