Rádio Difusora

(45) 9-9841-0044
13/02/2017 15:52 | Autor: Editor
Fonte: Evelyn Rodrigues e Marcelo Barone/Portal Palotina

Spider admite que sentiu idade no último round

Foto:Spider admite que sentiu idade no último round: "Deus, sou velho agora" (Foto: Evelyn Rodrigues )
O tempo passa, mas Anderson Silva segue entrando no octógono do UFC para lutar. Aos 41 anos de idade, o lutador mostrou na madrugada de sábado para domingo lampejos do lutador genial que assombrou a categoria peso-médio da organização por boa parte do século, ao derrotar o americano Derek Brunson por decisão unânime dos juízes no coevento principal do UFC 208, no Brooklyn, em Nova York. O próprio "Spider", contudo, admitiu em entrevista coletiva após a luta que já sente as dificuldades que o tempo impõe e que sentiu sua idade durante o combate.

- Sim. No último round, eu disse, "Oh meu Deus, eu sou um homem velho agora! Jesus Cristo!" Mas isso não importa, porque, quando entro no cage, não me importo. Com 41, 42, 43, coloco meu coração ali e vamos lá - declarou Silva.

Por outro lado, Anderson garantiu que, quando entra no cage, "volto aos 30 anos de idade e fico feliz, porque é minha vida". O ex-campeão dos médios assegurou que seu discurso emocionado no octógono não tinha nenhuma intenção de ser um anúncio de aposentadoria, e que ainda tem lenha para queimar no MMA.

- Muitas pessoas falam isso (que sou velho). Eu sou velho, sou muito velho. As pessoas dizem, "Este cara é muito velho". Mas, sabe, tenho muita experiência, tenho um tempo perfeito. Isso é mais importante. (...) Na verdade, a galera é mais rápida, mas eu tenho um tempo melhor que o deles. Não que eu seja melhor que eles, mas eu tenho um tempo, e isso é uma vantagem sobre a garotada que está chegando. Eu vou ter que parar alguma hora, mas ela ainda não chegou.

Spider também minimizou a polêmica sobre o resultado de sua luta. Boa parte da mídia americana pontuou dois dos três rounds a favor de Derek Brunson.

- Eu acho que venci os dois (primeiros) rounds, e o último round acho que não, mas é uma boa pergunta para os juízes, porque eu defendi as quedas, mas no último round, meu oponente me colocou no solo, e eu me defendi e dei mais golpes. Eu fiquei apenas feliz, porque botei meu foco, falei com meus treinadores, e eles disseram, "Você venceu os dois rounds, mantenha o foco no último". Meu oponente é um bom lutador, é jovem, é um bom lutador e agradeço ao Derek Brunson por me dar a oportunidade de enfrentá-lo.

Estava confiante que venceu a luta?

- Sim, eu acho que eu usei mais técnicas, me movi mais e, no último round, meu oponente me colocou no chão, mas fui mais ofensivo, ataquei mais. Essa é uma boa pergunta para os juízes.

Sentimento

- Estava muito feliz de poder fazer o que eu gosto e amo. Lutar é meu ar, e apesar de estar chegando cada dia mais perto de a minha carreira acabar como lutador, é meu ar. Estar junto com meus filhos, eles estarem presentes na minha vida sempre... Às vezes, erro como pai, não sou perfeito, mas estou muito feliz de eles estarem vivendo esse momento comigo.

Lágrimas pós-luta

- Foi de felicidade, né, muitos anos fazendo isso, muitos anos aqui dentro do UFC podendo dar alegria, às vezes dar tristeza para as pessoas, mas muito feliz, de poder dar felicidade à minha família.

Vontade de lutar no Brasil em seguida

- Claro, com certeza, mas agora meu foco é voltar pra casa, ficar com minha família e cuidar das minhas coisas paralelas ao UFC. (...) Talvez, talvez, agora vou voltar para casa, mas talvez. Surpresa! "Ai ié ié, pegadinha do Mallandro!" Não sei, vamos esperar.

Explosão nos finais de rounds

- Esta é minha estratégia. Falo muito com meus treinadores e meu time. Uso o tempo para me ajudar. É mais estratégia.

Como se mantém pronto para lutar

- Acho que este é um estado de espírito. Na minha mente, estou fazendo piada toda hora. Meus amigos dizem, "Você é velho", sim, eu sou velho, mas isso não me importa, porque tenho amigos bons no treino, eu mantenho o foco no treino e trabalho todo dia. Eu estou apenas brincando, porque, na minha mente, sou jovem.

Mudanças no treinamento com a idade

- Tudo é o mesmo. Mas agora, eu estou mais esperto. Quando era mais jovem, eu não prestava atenção ao movimento perigoso, e agora eu fico mais quieto com os movimentos diferentes. Mas é o mesmo.

Mudança na música de entrada

- Fiquei muito surpreso, porque primeiro eu falei com o Ed (Soares), e ele disse, "Ah, acho que não é bom fazer isso". E quando eu estava sentado no meu quarto e meu filho veio, me deu a música e disse que era uma surpresa para mim, eu fiquei surpreso e agradeci. A música do DMX é parte da minha história dentro do UFC, mas acho que nesta hora era muito importante (usar a música do filho). Fiquei muito surpreso porque meu filho trabalhou muito para fazer essa canção para mim, e foi um grande presente para mim. Obrigado, Kalyl. Foi um pouco de pressão para mim. Meus filhos ficam muito comigo, e o Gabriel me ajudou nos treinos porque ele é um bom boxeador, e Kalyl me ajuda de vez em quando, porque ele não gosta de lutar, mas é um bom talento. Eles são parte da minha vida, meus dois filhos são os melhores. É claro, Kaori, Kauana e João, mas esses dois garotos me ajudam muito.

O que disse a Derek Brunson após a luta

- Eu apenas disse "Derek, muito obrigado. Hoje você provou a todo mundo aqui o quanto você respeita este esporte". Eu disse "obrigado pela oportunidade, porque você me enfrentou". Derek Brunson é um bom garoto e tem um grande futuro dentro do UFC.

Sobre voltar a ser o "Anderson de antigamente"

- Quando eu estou ali dentro, eu estou feliz, eu estou ali pra me divertir, independente do que muito ficou na cabeça das pessoas, que eu brinco demais, não é nada disso. Quando eu estou ali dentro, é o único lugar de verdade que posso expressar toda minha felicidade e voltar a ser criança. Busco ser muito feliz ali dentro.